sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Morre Mark Felt, o “Garganta Profunda”

Portal Comunicque-se
da Redação



Fonte dos repórteres do Washington Post Bob Woodward e Carl Bernstein, responsável pela renúncia do ex-presidente norte-americano Richard Nixon, morreu, aos 95 anos. Embora sofresse de problemas cardíacos, a causa da morte ainda não foi divulgada. Em reportagem informando a morte de Mark Felt, o The New York Times se referiu a ele como a “fonte anônima mais famosa da histórica americana”.

Em 2005, Felt revelou ser a fonte dos jornalistas do Post. Embora sua família tenha garantido que as razões que o levaram a fazer isso era deixar um legado permanente, o próprio “Garganta Profunda” disse que fins lucrativos o motivaram a confessar que foi ele quem passou as informações do escândalo Watergate. "Agora vou organizar e escrever um livro ou algo assim, e ganhar todo o dinheiro que puder", declarou ele, na época, em sua residência de Santa Rosa (Califórnia).

O NYT revelou naquele ano que a família de Felt, preocupada com seu estado de saúde, começou oferecer a história, após tentar em vão um acordo de colaboração com Woodward. Os Felt ofereceram o caso ao jornalista Todd Foster, então colaborador da revista People, que se negou a publicar um artigo porque a família exigia dinheiro para isso. Segundo declarou Foster ao Times, "isto sempre teve a ver com o dinheiro, e eles foram muito claros sobre isso comigo".

Depois, a família propôs um livro à editora ReganBooks, da casa HarperCollins, mas as negociações fracassaram devido à preocupação da empresa com o estado mental de Felt.
Finalmente, a notícia foi publicada na Vanity Fair, que pagou US$ 10 mil por um artigo escrito pelo advogado da família, John O'Connor.

A identidade do “Garganta Profunda” foi mantida em segredo por 30 anos. Os repórteres do Post prometeram que só revelariam a fonte das reportagens quando ela morresse.


Postar um comentário