quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Por que as futuras gerações irão nos condenar?

njovem 18 de outubro de 2010



Por Rafael Kenski
SuperInteressante


Um artigo no jornal Washington Post levantou uma maneira interessante de pensar em tendências. Qualquer passada de olhos em livros de história – ou mesmo em seriados como Mad Men – mostra diversos costumes e valores difundidos no passado, mas que hoje são vistos como absurdos. No século 19, era normal ter escravos. Em grande parte do século 20, as mulheres não tinham direito nenhum (e era normal que apanhassem do marido). Então vale perguntar: o que hoje irá ser considerado como estranho no futuro?
Segundo o jornal, alguns fatores ajudam a responder a pergunta. Em primeiro, atitudes condenáveis no passado já eram criticadas na própria época. Segundo, os defensores usavam argumentos baseados na tradição ou diziam que o hábito fazia parte da “natureza humana”. E, por último, havia uma “ignorância estratégica” por trás dos efeitos da questão: todos consumiam as mercadorias feitas por escravos, mas ninguém pensava nas condições de produção. O próprio jornal levanta algumas questões que se encaixam hoje nessa definição como o modo como tratamos presos, os asilos para idosos, a crueldade com animais, a proibição das drogas e as questões ambientais.
A lista é bem maior do que isso. Escreva aí embaixo o que você acha que será difícil explicar para os seus netos. Talvez a nossa incapacidade de lidar bem com a privacidade hoje? A proibição de casamento entre homossexuais? Talvez a desigualdade social do país – e o fato de aceitarmos os “direitos” dos VIPs ? Pensando nessa lógica, é possível que a gente consiga resolver algumas das questões quentes dessas eleições, ficar com a consciência mais tranqüila ou, ao menos, entender melhor a época em que vivemos.
Postar um comentário