terça-feira, 10 de setembro de 2013

Hidrelétricas e mineração na Amazônia são temas de reportagens do LAB



As repórteres do LAB (Latin America Bureau) Sue Branford e Nayana Fernandez estão na Amazônia brasileira desde o último 05 de setembro. A missão é investigar durante 25 dias, o efeito sobre as comunidades locais de índios, pescadores e quilombos dos chamados projetos de desenvolvimento, especialmente em mineração e energia hidrelétrica, em torno dos rios Tapajós e Trombetas, no Pará. O trabalho incluirá entrevistas em vídeo com os líderes indígenas Munduruku, garimpeiros, quilombolas e outras pessoas dessas comunidades.

Após chegarem a Santarém, onde os rios Amazonas e Tapajós se encontram, elas percorreram mais de 800 quilômetros, chegando a Jacareacanga, uma cidade dominada por 'garimpeiros' na década de 1970 e 1980 e, agora, um centro de resistência indígena contra as hidrelétricas do Tapajós.

Sue Branford é inglesa e possui mais de 40 anos de trabalhos sobre a América Latina, o Brasil e a Amazônia. Foi correspondente da BBC e do jornal The Guardian. É atualmente editora-chefe do LAB.

Nayana Fernandez  é brasileira, videomaker, com mestrado em Antropologia e Política Cultural no Goldsmiths College, em Londres. Sua matérias se concentram em questões em torno dos direitos humanos e movimentos sociais no Brasil

Com informações do 
LAB.

Leia: Rio, um ano depois, por Sue Branford
Postar um comentário