sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Pequena Enciclopédia de Filosofia

Há 3 mil anos o ser humano tenta resolver o problema da morte, descobrir sua missão no mundo e aprender a decidir o que é certo ou errado. O problema é que, nesse tempo todo, acabou criando um monte de palavras difíceis. Bem, agora vamos entender algumas destas palavras.

* DIALÉTICA:
Diálogo. É a arte de debater, argumentare, contra-argumentar. Sócrates foi o homem que estabeleceu o costume do diálogo nas rodas intelectuais da Grécia. No século 18, "dialética" passou a significar uma dinâmica em que as coisas se sobrepõem, uma substituindo outra.

* ÉTICA:
Definir o que é certo e o que é errado é simples. O problema é que a idéia de certo e errado muda sempre, dependendo de como enxergamos o mundo.

* EPICURISMO:
Para Epícuro (340-270 a.C.), o ideal do bem é viver sem medo e sem dor, aproveitando o dia de hoje. O filósofo dizia que para viver bem, o jeito é se abster de grandes prazeres, evitando assim a frustração quando eles não puderem ser obtidos.

* ESTOICISMO:
Diferente do epicurista, o estóico acredita que o mundo é governado por uma lógica divina, ou seja, Deus está no mundo e sua manifestação é a ordem das coisas. Eles acreditam que somente pelo desapego, ignorando dor e prazer, é que se descobre a verdade,

* HERMENÊUTICA:
Interpretação de texto. É a parte da filosofia que pensa no que o autor realmente quis dizer como um discurso, um filme ou um evangelho escrito 2 mil anos atrás.

* METAFÍSICA:
É o estudo das coisas "além do mundo físico". A metafísica responde perguntas do tipo: Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos?

* NIILISMO:
Vem do latim: "nada" é "nihil" em latim. É negar a realidade, dizer não ao mundo real em prol da imaginação de um mundo perfeito, de um ideal transcendente. Os niilistas acham que nada tem valor, que não há motivos para respeitar tradições, leis ou princípios moraes. É a perigosa idéia de que "se Deus não existe, então não há crime, não há pecado, tudo é permitido".

* PLATONISMO:
Platão dividia o mundo em: REAL e IDEAL. O mundo real é o que vivemos. Mas antes do mundo real, vem o das idéias, o único de fato verdadeiro. Este em que vivemos seria uma sombra, uma ilusão. Platão também acreditava na imortalidade da alma, que, de vez em quando, era aprosionada em corpos humanos. O judaísmo, cristianismo e islamismo se apropriaram das idéias de Platão e deram ao mundo das idéias uma cara e uma forma de pessoa: DEUS.

Bem, estas são algumas palavrinhas que eu sempre topava na minha época de universidade e que fundamentaram meu TCC. E aí vai também o pensamento do meu filósofo preferido, que também está presente no meu Travalho de Conclusão de Curso. Observem como ele é o rebelde mais sensato e sereno de todos!!!

"Todos os célebres ideais da política, da moral e da religião são apenas ídolos, inchaços metafísicos, ficções que não visam nada a não ser fugir da vida, antes de se voltar contra ela".
Friedrich Nietzsche
Postar um comentário