sábado, 25 de abril de 2009

Jornalista condenada por espionagem no Irã entra em greve de fome

Agencia France Presse, em Teerã

A jornalista Roxana Saberi, 31, condenada no Irã a oito anos de prisão por espionagem, está em greve de fome há cinco dias, declarou seu pai, Reza Saberi, à agência France Presse, neste sábado.

"Começou [uma greve de fome] e hoje [sábado] é o quinto dia", declarou . Roxana Saberi foi recentemente condenada por um tribunal revolucionário de Teerã, sob acusação de espionagem para os Estados Unidos, após um julgamento rápido e a portas fechadas, o que deixou uma infinidade de dúvidas a respeito de sua lisura.

Desde que foi presa, em 31 de janeiro, as acusações contra ela cresceram da suposta compra de uma garrafa de vinho, o que é proibido no Irã, à denúncia por trabalhar de forma ilegal, após expirar seu credenciamento de imprensa.

Finalmente, em 9 de abril, poucos dias antes do início do julgamento, o promotor Hassan Zare Dehnavi acusou-a de espionar o Irã para os Estados Unidos. "Seu advogado apelou da condenação hoje", acrescentou o pai da jornalista.

Saberi, filha de pai iraniano e mãe japonesa, chegou a Teerã há seis anos e, desde então, trabalhou para meios de comunicação britânicos e americanos de prestígio como as emissoras BBC e Fox News. Ela tem duas cidadanias (iraniana e americana), apesar do Irã não reconhecer as duas nacionalidades. Ultimamente, reunia informação para escrever um livro.
Postar um comentário