terça-feira, 19 de junho de 2012

Rádio que funcionava na Cúpula dos Povos, no Rio, é fechada


G1

Emissora funcionava sem autorização do Ministério das Comunicações. Sinal da rádio poderia prejudicar tráfego aéreo, dizem especialistas.

 
A Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel) tirou do ar a rádio que funcionava na Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul do Rio, na noite de domingo (17). A emissora não tinha autorização do Ministério das Comunicações para funcionar e, segundo técnicos, o sinal poderia interferir no controle do tráfego aéreo do Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, conforme mostrou o Bom Dia Rio.
Manifestantes cercaram a rádio e policiais fizeram o patrulhamento no local. A reunião com o secretário executivo das telecomunicações e representantes da rádio durou mais de duas horas e era fechada. Depois de analisar os equipamentos utilizados para a transmissão veio a determinação para suspender as transmissões, uma vez que havia risco de interferência nas comunicações das aeronaves.
O instrumento conhecido como analisador de espectro é usado para confirmar o uso radiofreqüência. Sempre que o sinal oscila, significa que há alguém se comunicando por ondas de rádio.
De acordo com o secretário executivo do Ministério das Comunicações Cézar Alvarez, a rádio será reaberta assim que houver a confirmação da viabilidade do uso dos equipamentos. “A programação ficará suspensa até o momento em que encontra-se uma nova freqüência e eles sejam capaz de ter um equipamento confirmado por nós sem estes problemas. Isso acontecendo, haverá, então, uma licença extraordinária”, disse.
Segundo o representante do ministério, há a possibilidade de a rádio voltar a operar ainda nesta segunda-feira (18), após a regularização da situação dos equipamentos da emissora.
Para Arthur William, da Associação Mundial da Rádio Cúpula dos Povos, o processo de legalização da rádio pode ser demorado.
“O ministério de Comunicações vai viabilizar a legalização da Rádio Cúpula dos Povos para que ela volte a operar amparada pela lei, que é um processo muito burocrático legalmente para as rádios comunitárias fazerem isso. Então a gente, através dessa pressão da sociedade vamos agilizar esse processo da Rádio Cúpula dos Povos”, explicou.
Postar um comentário